O Tocha Humana (Quarteto Fantástico)

Spellforce 2: A Segunda Trilogia em quatro partes...

Esta segunda parte da série Spellforce era suposto dar nova vida à franquia mas na minha opinião, nunca conseguiu obter o mesmo sucesso da primeira trilogia talvez devido à falência das empresas a que pertencia, a fraca personalização e criação de personagens ou quiçá devido ao aspecto meio caricatural das personagens, algo que ainda hoje divide alguns jogadores...

Claro que a história das campanhas também não ajuda muito... começa bem com Shadow Wars (Guerra das Sombras), aguenta-se razoavelmente com Dragon Storm (Tempestade de Dragões), espalha-se ao comprido com Faith in Destiny (Fé no Destino) e sai pela porta pequena com Demons of the Past (Demónios do Passado)...

Também houve muitos melhoramentos em relação à série anterior mas por outro lado perdemos na capacidade de desenvolver o nosso personagem, e embora nos feitiços já não seja necessário andar a procurar/comprar pergaminhos por outro lado perdemos diversidade com as diferentes escolas de feitiçaria que existe na primeira trilogia...

Outra coisa de notar nesta série Spellforce 2 é que com a mudança de desenvolvedores/empresa de publicação também a bela moçoila em destaque na capa desaparece. :(

Spellforce 2: Shadow Wars

Spellforce 2: SW

Spellforce 2: Shadow Wars é um jogo desenvolvido mais uma vez pelos alemães da Phenomic e publicado pela Jowood Productions no ano 2006...

O jogo começa apresentando-nos uma nova raça com sangue de dragão que se tem mantido distante das restantes em Eo devido à má-fama/pecados do seu criador/fundador. Os Shaikans são humanos que possuem a habilidade de poder ressuscitar outros num determinado tempo-limite, partilhando o sangue do dragão presente neles mesmos e no processo transformando esses ressuscitados em Shaikans. Devido ao laço que os une também podem chamar instantaneamente outros heróis que se encontram distantes para seu lado.

Ficamos a saber que os eventos finais de Spellforce: Shadow of the Phoenix custaram a imortalidade dos Guerreiros da Runa que agora vivem entre os demais habitantes de Eo como seres comuns.

No entanto, quando o exército dos temidos Elfos Negros surge, no seguimento dos eventos ocorridos no Free Game da primeira trilogia e com o intuito de espalhar o caos, é preciso que um guerreiro Shaikan (O Jogador) dê um passo em frente para liderar as tropas da ordem e da justiça.

A acção desta vez passa-se em Highmark, brevemente mencionado em Spellforce: The Order of Dawn mas somente nesta série desenvolvido e apresentado em detalhe com belas cidades como Norimar ou Sevenkeeps.

Ficamos também a saber que a energia dos portais começou a diminuir de intensidade. Os Shaikans uniram-se em uma tentativa de reverter a situação. Só que seus conhecimentos não foram o suficiente. E para piorar ainda mais a situação, o seu criador/fundador que julgavam morto há séculos, foi despertado.

Trailer da Campanha de Spellforce 2: Shadow Wars

Tal como nas campanhas da primeira trilogia, precisas completar algumas missões para avançares no jogo, tanto principais como secundárias que podem dar-te a ganhar itens de alta qualidade.

Spellforce 2: Dragon Storm

Spellforce 2: DS

Spellforce 2: Dragon Storm é a primeira expansão desta segunda série. Ainda desenvolvido pela Phenomic e publicado pela Jowood Productions em 2007, é em quase tudo similar ao jogo anterior adicionando 3 novas facções/raças e novas localizações.

Também entra no campo metafisico das coisas com a introdução de naves movidas a pensamentos e emoções... Mas já estou a revelar demais... :S

A campanha começa apresentando-nos o nosso herói, um antigo Guerreiro da Runa que foi escravizado por Hokan Ashir onde foi incumbido de proteger a filha do Necromante.

Após os eventos finais de Spellforce: Shadow of the Phoenix, viu-se mortal e sem propósito acabando por se juntar aos Shaikans onde encontrou uma nova vida que vem abaixo ao reencontrar a miúda filha do feiticeiro, agora mulher que foi a sua protegida.

Somos também informados que os portais que ligam o mundo de Eo estão à beira do colapso, na verdade nesta campanha só vamos conseguir atravessar um ou dois antes de se desligarem de vez.

Trailer da Campanha de Spellforce 2: Dragon Storm

Cabe ao jogador, na pele do antigo Guerreiro da Runa, descobrir maneira de voltar a ligar as várias regiões/ilhas de Eo.

E durante esta aventura vamos descobrir onde se escondem os últimos dragões de Eo, e o que aconteceu à antiga raça dos Shapers que aparentemente foram dos primeiros habitantes do mundo antes que a sua própria ciência e magia os destruísse.

SpellForce: Faith in Destiny

Spellforce 2: FiD

Tudo indicava que Spellforce 2: Faith in Destiny seria a ultima expansão desta segunda trilogia. No entanto, as coisas não correram como previsto e foi aqui que tudo começou a descambar...

Após a falência da Jowood Productions, a franquia passou para os austríacos da Nordic Games que contrataram os indianos da Trine Games para desenvolverem esta segunda expansão de Spellforce 2, que seria lançada no mercado em meados de 2012.

Uma coisa ficou logo aparente ao jogarmos este jogo. Foi algo feito e acabado à pressa. Claro que introduzem novos inimigos (aos quais nem deram um nome, chamando-os simplesmente de The Nameless) e novos feitiços, itens, etc... Mas a história quase sem sentido e terminada de repente sem cerimonia deixou a maioria dos fãs da franquia ultrajados e sem grande esperança no futuro do mundo de Eo.

Tudo começa com o nosso novo Herói tendo uns sonhos estranhos, e mais tarde recebendo a missão de ajudar um personagem presente nas campanhas anteriores a restaurar a rede de portais e voltar a unir as ilhas de Eo.

Trailer da Campanha de Spellforce 2: Faith in Destiny

O nosso herói vai gradualmente se aproximando de seu próprio destino através desta jornada - através de conversas, habilidades recém-adquiridas e batalhas travadas contra antigos e novos inimigos.

Mas onde quer que ele vá, os Nameless estão sempre um passo à frente e tudo termina numa batalha sem sentido onde o nosso herói tem não apenas seu próprio destino, mas o destino de Eo em suas mãos.

Uma outra novidade nesta expansão foi o lançamento de mais 3 DLCs em separado onde contam as histórias de alguns personagens menores da expansão, incluindo uma aventura do meu personagem favorito da franquia que praticamente aparece em TODOS os jogos de Spellforce 1 e 2: Flink McWinter. Embora perceba a razão porque ele não surge em Spellforce 3, ainda tenho esperanças do o ver em jogos futuros da franquia. ;)

SpellForce 2: Demons of the Past

Spellforce 2: DotP

Spellforce 2: Demons of the Past é a ultima expansão desta que seria a segunda trilogia. Desta vez desenvolvido pela Mind Over Matter Studios e publicado novamente pela Nordic Games no inicio de 2014, é algo como o final da franquia ou pelo menos é o sentimento que fica ao jogarmos a campanha até ao fim...

Verdade que tentam atar algumas pontas soltas... e ao mesmo tempo, apelam aos mais nostálgicos ao ir buscar personagens já desaparecidos de campanhas anteriores... mas mesmo assim, é um jogo que deixa um sabor amargo nos fãs da franquia, principalmente nos que acham que a primeira trilogia é a melhor...

Desta vez começamos o jogo jogando como um Ancião dos Shaikans que tem por missão combater e derrotar o mal libertado no final de Spellforce 2: Faith in Destiny... Até aqui nada de novo...

A novidade nesta aventura é que vamos puder viajar ao mundo dos deuses de Eo e até interagir com eles, descobrir que são falíveis como os mortais...

Confesso que não gostei desta parte do jogo. Não do facto de virmos a conhecer os deuses mas sim de como eles são apresentados, como humanos quase gigantes com uma mascaras horrendas. Na minha opinião, já que levaram a história nesta direcção poderiam ter apresentados os deuses como criaturas de luz e sombra indefinidas...

Trailer da Campanha de Spellforce 2: Demons of the Past

Outra coisa a deixar-me um sabor amargo ao terminar de jogar esta ultima expansão é a forma como acaba. Com o áudio duma conversa entre um membro da Ordem dos Zerbites e um aparentemente jovem e ainda aprendiz Hokan Ashir, e onde fica a ideia de que todos os acontecimentos da franquia até este ponto não passam de um entre muitos futuros possíveis...

Alguns podem dizer que essa conversa está aberta a interpretações mas confesso que não gostaria que esta nova empresa fizesse tábua rasa de tudo o que aconteceu antes para recomeçar a franquia do zero em Spellforce 3, onde a acção se passa 500 anos antes da Convocação, o grande cataclismo de destruiu o mundo de Eo oito anos antes dos eventos de Spellforce: The Order of Dawn...

Embora pelo que já joguei de Spellforce 3, até agora não vi nada que indique que seja esse o caminho que vão seguir. Mas também esse jogo saiu com uma carrada de bugs que somente após um ano e tal de patches/updates é que ficou algo jogável...

Para terminar este artigo, deixo-vos com o género canónico de cada herói em Spellforce 2: Shadow Wars é masculino, Dragon Storm feminino, Faith in Destiny masculino e seguindo essa lógica, em Demons of the Past feminino de novo embora neste ultimo sou só eu a supor já que até agora não vi nada que indique o contrário...

Mas como nem tudo são más noticias, aqui estão links para onde podem achar mais informações, incluindo alguns Mods interessantes:

E por hoje é tudo. ;)

Até breve. :-F

Gostou do que leu?
Então se quiser, pode pagar-me um café. ;)

Comentários

Malta, comentem, tanto críticas como elogios serão bem-vindos. E eu respondo, não prometo quando mas respondo.

Mas antes de comentarem, leiam as minhas Regras dos Comentários.

Se quiserem deixar o link para o vosso sitio, utilizar alguns estilos ou até inserir videos ou imagens nos comentários DEVEM mesmo ler as indicações nas Regras dos Comentários.